quarta-feira, 13 de agosto de 2008

'O que era vidro se quebrou'

O que era vidro se quebrou, o que era doce se acabou. Hoje não foi um dos meus melhores dias, escrevo aqui algo mais pessoal do que os outros textos: acabou meu namoro e por incrível que pareça, de uma forma pacífica até. Chegou a hora em que desculpas e mentiras não tapavam mais os buracos e que as acomodações mostraram seu real desejo. Guardei muitas coisas ainda, queria ter dito mais, ensaiei demais, só que na hora tudo se apagou. Foi como se uma supernova transformasse meus pensamentos e ideais, antes decorados e guardados no primeiro arquivo da minha mente. Guardo certo receio e ainda tenho medo do que está por vir. Não sou adivinho e nem tenho bola de cristal, mas sei que está tudo pré-determinado, e que cabe a você a escolha: o caminho da esquerda ou o da direita? Das lembranças guardarei as mais especiais no arquivo do centro e das ruins, pegarei o melhor e investirei em mim mesmo, afim de renovar meus conhecimentos e depois descartarei. A cada relacionamento amadureço mais, sei que não sou perfeito e nem feito de aço. Segurei o choro, até quando deu. Mas aqui estou, sem ressentimento e mágoa, na verdade ainda estou incerto disso. A certeza que tenho é que: o tempo dirá, se o que passou foi o suficiente.

Um comentário:

Lidia Zuin disse...

Que bonito, vc conseguiu transmitir um sentimento tão avassalador com uma leveza e uma ponderação que eu JAMAIS seria capaz. Nossa, se eu terminasse com o namorado ou vice-versa, sei lá, eu iria ou nao conseguir escrever nada ou entao fazer um texto emotivo demais, com palavras atropeladas, sem conclusão, sem nexo... Eu adorei a frase final. Só o tempo vai dizer se o que aconteceu foi suficiente para seu afeto ter passado ou ainda estar vivo, voltar mais tarde... Nossa, adorei mesmo. Vou guardar essa frase pra mim hahaha