domingo, 15 de março de 2009

'Sempre Vai Voltar'

Às vezes, eu penso que estou no controle das sensações e sentimentos. Mas, percebi que ontem e hoje, eu vi e presenciei coisas que mudaram esses conceitos. Sou apenas mais um à deriva, em um mar agitado. Como coisas que aconteceram há mais de sete meses, ainda pertubam meus pensamentos, sonhos, lágrimas. Odeio não possuir uma defesa para tal feito. Me sinto vulnerável, não consigo lutar contra ou fugir, fico igual a uma criança paralisada, quando vai cruzar à rua e percebe que um carro veem em sua direção. O que irrita mais, é não saber o que veem pela frente, o que o destino ainda reservou para nós dois, ou se aquilo que aconteceu há oito meses atrás, foi o fim de tudo. Esse ressentimento me dá agônia. Me faz mal. Vejo que minha felicidade pegou um avião e foi tirar férias bem longas, longe de seu dono. E se tudo mudasse? E se, aquilo que passou, não significasse mais nada e quiséssemos reiniciar? Não sei qual seria minha reação. Provável que eu chorasse, não por tristeza e sim por felicidade. Por ela ter voltado ao seu verdadeiro dono. Mas iria doer no orgulho, se eu dissesse um simples 'sim, eu aceito'. Ele entraria em conflito com as razões do coração, formando outra das milhares de batalhas épicas, que meu próprio organismo já formou. Uma resposta lógica para isso tudo? Não há. Se eu fosse pela lógica, não aceitaria nem encontrá-lo novamente, ou, até encontraria e depois humilharia do mesmo jeito. Eu sei o quanto sou orgulhoso quando se trata dessas coisas. Mas sempre há uma esperança. Se ele mudar? Se ele se tornar uma pessoa melhor? Ele poderia esquecer que eu magoei-o daquele jeito, e eu esqueceria o que ele fez comigo. Tudo bem que foi uma troca de farpas, justa, mas injusta, com nós mesmos. Tudo muda em minutos. Coisas pegam fogo em minutos. Pessoas ficam casadas em minutos. Vidas surgem em minutos. Mas, os minutos não me interessam mais, já desperdicei vários com pessoas erradas. Perdi o vigor que tinha, aquele brilho único que todos reconheciam. Não importa o quão interessante seja, não olho mais para ninguém com os mesmos olhos.

Um comentário:

Lange disse...

Adoro seus textos, você tem um brilho que não conhece.
A vida lhe reserva muitas alegrias e mais ainda, gente que te merece.
Sou sua fã.
Beijos
Solange
langevezu@yahoo.com.br